Convidamos os interessados em participar do Grupo de Trabalho: Antropologia, política e gestão pública no campo da cultura, coordenado por Lia Calabre de Azevedo (Fundação Casa de Rui Barbosa), Luiz Augusto Fernandes Rodrigues (Universidade Federal Fluminense) e Alvaro de Giorgi (UDELAR), a ser realizado na XI Reunião de Antropologia do Mercosul – RAM, a submeterem resumos de até 250 palavras, até o dia 02 de agosto de 2015. A RAM ocorrerá entre os dias 30 de novembro e 04 de dezembro na cidade de Montevidéu, Uruguai.

Seguem mais detalhes abaixo:

XI Reunión de Antropología del MERCOSUR – XI Reunião de Antropologia do MERCOSUL

 GT 91 – Antropologia, política e gestão pública no campo da cultura

Coordenadores:

Dra. Lía Calabré, Fundação Casa de Rui Barbosa – Ministério da Cultura, – RJ Brasil. Email:  liacalabre@rb.gov.br

Dr. Luiz Augusto F. Rodrigues, Universidade Federal Fluminense, Niterói RJ – Brasil  Email:  luizaugustorodrigues@id.uff.br

Dr. Alvaro de Giorgi, Centro Universitário Región Este- UDELAR, Maldonado, Uruguai  Email: aldegiorgi@adinet.com.uy

Comentarista:

Dra. Ivana Mihal,  UBA / CONICET, Buenos Aires, Argentina.

 

Cronograma:

Envio de resumos (até 250 palavras e 5 palavras-chave): até 02 de agosto de 2015.

Resultado dos trabalhos selecionados pelos coordenadores : 15 de setembro de 2015.

Envio dos trabalhos completos: até 20 de setembro de 2015.

 

Forma de envio:

  • Submeter o resumo ao email dos três coordenadores do GT, com a adição das seguintes informações:

-Nome do Autor/a/as/es

-Vinculação acadêmica

-Título do trabalho

– Dados: email (institucional e/ou pessoal)

 

 

RESUMO DO GT

Na última década, aconteceram transformações significativas no campo das políticas culturais em muitos dos países do MERCOSUL. Entre os traços mais salientes deste processo cabe mencionar a incorporação de uma concepção das políticas culturais como políticas públicas nas que o Estado tem decisiva responsabilidade; a noção da cultura como uma questão de direitos de cidadania que o Estado deve garantir sua efetivação; a promoção de condições y programas que tendem a democratizar o acesso a cultura não somente no consumo de bens e serviços culturais senão na produção de novas criações; a importância do campo cultural como meio de integração cidadã nos contextos de vulnerabilidade social; a aposta na escala territorial como espaço privilegiado das políticas públicas em cultura, estreitamente conectado a promoção de formas inovadoras de participação cidadã tanto de públicos, atores e instituições culturais na gestão pública desses territórios e  produções culturais; a preocupação ante as tensões e contradições inerentes a  intensificação da transnacionalização da cultura à escala planetária, com particular ênfase em como ele repercute -e como se atua ao respeito- desde o  MERCOSUL em seu conjunto ou desde cada política nacional particular.

A academia acompanhado este câmbio, desenvolvendo de maneira crescente, investigações sistemáticas desde diversas disciplinas das Ciências Sociais e as Humanidades, com uma forte ênfase interdisciplinar, sobre estas problemáticas. Estritamente, com desigual alcance de acordo a cada país, se tende a conformar um novo campo de estudos sobre a gestão pública da cultura, no que convergem aportes de tradições disciplinarias já consolidadas. A antropologia contribui neste processo aportando sua dilatada e heterogênea trajetória de reflexão teórica sobre a cultura  tanto categoria substancial de seu saber disciplinar -que excede amplamente a denominada “concepção antropológica da cultura”-; no plano metodológico, a não menos extensa e variada tradição do trabalho de campo etnográfico; no plano da especialização subdisciplinar as contribuições teórico-metodológicas específicas provenientes do estudo antropológico da política, a antropologia do Estado, das instituições, do ativismo de movimentos sociais e organizações da sociedade civil orientado a demandas de reconhecimento cultural e/ou territorial.

O objetivo do Grupo de Trabalho consiste -continuando o realizado na X RAM- em afirmar a construção coletiva de um espaço de reflexão crítica em torno deste novo campo acadêmico em nossos países, dando prioridade a abordagens antropológicos ainda sem circunscrever-se aos mesmos, esperando contar com ponências provenientes de diversos enfoques de outras disciplinas sociais e humanísticas que enriqueçam o trabalho interdisciplinar sobre gestão pública da cultura. Assim mesmo, se espera contar com trabalhos de corte comparativo, seja entre o exame de dimensões e experiências de políticas culturais entre países do MERCOSUL ou entre integrantes do bloco e de países fora da região. Também se convida a expor análises das distintas escalas de ação em que se desenvolvem políticas culturais, seja local, departamental, municipal, estadual ou nacional e atendendo a uma variada gama de atores que intervém nas mesmas, seja o próprio Estado através de suas diferentes instituições, o setor privado e organizações da sociedade civil,  seja atuando de forma autônoma ou associada, em conflito ou cooperação.

 

Mais informação sobre XI RAM

Facebook de la XI RAM: https://www.facebook.com/people/XI-Ram/100007206498358

Site da XI RAM:  http://www.fhuce.edu.uy/index.php/ciencias-antropologicas/departamento-de-antropologia-social/xi-ram

 

 

 

Setor de Estudos em Políticas Culturais

Fundação Casa de Rui Barbosa – Botafogo, Rio de Janeiro

Contatos: (21)32898619 (21)32898609

politica.cultural@rb.gov.br

 

Submissão de Trabalhos – XI RAM
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

Pular para a barra de ferramentas