O Blog Rede Clara, na plataforma CulturaDigital.BR, apresenta a potencial comunidade cultural já conectada pela rede de alta velocidade latino-americana. O objetivo desta iniciativa é oferecer informações qualificadas que permitam à sociedade e aos gestores públicos do continente americano vislumbrar o potencial e o alcance das redes de alto desempenho para além das fronteiras brasileiras. É um passo ao encontro dos países da América e um possível catalisador das ações de cooperação e integração regional no campo da cultura.

O projeto responde a uma das diretrizes centrais da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que é promover o uso das redes de alto desempenho não só para experiências acadêmicas e científicas. Além de usos mais correntes no campo da astronomia, física, medicina, a instituição quer colocar a serviço da cultura a abrangente  infra-estrutura sob sua administração.

Esforços nesse sentido não começaram hoje. Em 2005, a RNP promoveu a realização do espetáculo Versus,  conectando Brasília, Bahia e Paraíba para a realização de um espetáculo de dança. Em cada localidade, dançarinos e músicos interagiam simultaneamente a partir de transmissões ao vivo compondo uma performance interconectada. Em 2007  foi mais além e conectou a PUC do Rio com Barcelona, realizando uma espécie de “festa distribuída”, na qual um DJ do Rio animou a platéia na cidade espanhola ao som de funk durante o ArtFutura, uns dos principais eventos de arte digital do mundo.

Em 2009,  por meio de um projeto-piloto com o Ministério da Cultura, a RNP deu mais um passo para aproximar as redes de alto desempenho de seu pontencial cultural.

A RNP vem desenvolvendo por encomenda do ministério uma série de estudos sobre a cultura digital brasileira, investiu na criação desta plataforma (culturadigital.br) e conectou desde 2009 instituições artísticas como a Cinemateca e Funarte, em São Paulo.

Ao backbone brasileiro, chamado de Rede Ipê, serão conectadas também a Biblioteca Nacional, Palácio Gustavo Capanema, Funarte (RJ), Casa de Rui Barbosa, Centro Técnico Audiovisual (CTAv), Centro Nacional do Folclore (IPHAN), Museu da República (IBRAM), Museu Nacional de Belas Artes (IBRAM) e o Museu Histórico Nacional (IBRAM).

O próximo e principal passo é moldar os projetos que surgirão a partir desta nova realidade, em que redes de alto desempenho são colocadas a serviço dos realizadores culturais.

“No alvorecer deste século, quais as experiências estéticas e simbólicas que uma rede de alto desempenho – novo meio técnico – poderá proporcionar para o campo da Cultura? A resposta teremos de construir coletivamente. E é por isso que estamos aqui”, questionam Álvaro Malaguti e Antonio Carlos Nunes, gerentes da RNP, em artigo que abre a publicação “Cultura Digital.br”. E em relação à América Latina?