Sem categoria

Laboratórios de Experimentação em Cultura Digital, as Gangues e a Indústria Criativa

Atualizando: Ricardo Ruiz* e Cary Grant* escreveram um artigo relacionando laboratórios experimentais, a classe do novo, uma visão mais ampla das indústrias criativas, gang power, a história recente do Ministério da Cultura, o des).(centro e conhecimento livre. O artigo finaliza com recomendações para a reflexão e para propostas derivadas do projeto Redelabs. Tentei umas quinze vezes colar a íntegra do texto aqui embaixo, com todas as notas e citações, mas não consegui. Vão abaixo dois trechos que achei interessantes, e fica a recomendação de leitura do artigo: Laboratórios de Experimentação em Cultura Digital, as Gangues e a Indústria Criativa.

(…) uma RedeLab, nós autônomos de pesquisa em áreas que vão do desenvolvimento sustentável à produção midiática e tecnológica, construindo entre eles “protocolos” de comunicação e  operação – como o intenso uso das tecnologias da informação (até mesmo  com o uso de algumas plataformas em comum), a generosidade intelectual, o fortalecimento de estruturas mais colaborativas e menos hierárquicas etc. – que permitam a  transversalidade entre eles, sem interferirem no funcionamento de cada  um. O apoio a uma Rede de Laboratórios em Experimentação em Cultura  Digital é também o apoio ao desenvolvimento da Indústria Criativa  nacional, e é de suma importância que tais laboratórios usem a  criatividade, a cultura e as TICs para a busca de soluções inovadoras  para os atuais problemas sociais, políticos, econômicos e ecológicos. É  também necessário a compreensão de que uma busca em comum dos  laboratórios é sua própria manutenção econômica, que explore além da  simplista troca comercial de bens imateriais por dinheiro, sem cair na  morosidade do assistencialismo estatal e que valorize, muito além das  cifras, a experiência, a alegria e o bem estar – de cada um e de todos.

É bom ressaltar que eles posicionam a ideia de “Indústrias Criativas” de uma maneira bem mais ampla do que o lugar-comum da produção de conteúdo para as “novas mídias” que acaba chegando por aqui. Na visão expressa recentemente por um programa europeu de cooperação, elas dizem respeito a inovação, meio-ambiente, acessibilidade e desenvolvimento urbano sustentável. O artigo continua:

Acreditamos, portanto, que o apoio a uma Rede de Laboratórios Para a Experimentação em Cultura Digital possa ter como objetivos a busca de inovações tecnológicas, políticas, econômicas e sociais para os desafios do nosso século. Para tanto, se faz fundamental a sinergia entre todos os produtores, órgãos públicos, sociedade civil e empresas do setor privado na busca por protocolos e objetivos em comum para o bem comum, sem  perderem nunca sua autonomia de produção, estruturação e gestão.

* Ricardo Ruiz é entusiasta da alegria, formado e pós-graduado.
* Cary Grant é ator e espião.