Brasil: Relatório sobre a tortura

João Baptista Pimentel Neto*

João Baptista Pimentel Neto. Perfil DiálogosSempre a serviço da direita mais retrógrada e reacionária, a esmagadora maioria dos grande oligopólios midiáticos brasileiros, insiste em rotular os trabalhos desenvolvidos pela Comissão Nacional da Verdade – e Comissões congeneres hoje espalhadas por todo o país, como uma espécia de desforra ou busca a “vingança” dos “esquerdistas de plantão” contra os militares e civis “revolucionários” que movidos por puro patriotismo “salvaram” o país de uma terrível (e suposta) ameaça de dominação comunista. Neste contexto, sempre que possível, minimizam ou distorcem  a verdade sobre os terríveis acontecimentos que marcaram este odioso período da história brasileira.

Documentário Brazil: A Report on Torture (1971), de Haskell Wexler e Saul Landau.

Documentário Brazil: A Report on Torture (1971), de Haskell Wexler e Saul Landau.

Neste momento em que as mesmas forças que promoveram e deram sustentação ao Golpe Civil-Militar buscam se rearticular e pregam abertamente – e em nome da democracia – a necessidade da volta dos militares ao poder e desta forma evitar que o Brasil seja dominado por supostos neocomunistas bolivarianos, acho mais que oportuna, a veiculação e divulgação do documentário Brasil: Relatório sobre a tortura, cujo conteúdo registra a memória e apresenta a versão daqueles que mais do que derrotados, foram vítimas da ação dos “democratas revolucionários” de então.

Filmado no Chile, logo após a chegada dos 70 presos políticos brasileiros trocados pelo embaixador suíço,  Brasil: Relatório sobre a tortura (no original Brazil: A Report on Torture) de Haskell Wexler e Saul Landau é um documentário com cenas fortes (há reconstituições de vários tipos de tortura) e foi produzido quase que por acaso, já que seus diretores encontravam-se na época no Chile, apenas para entrevistar o então presidente Salvador Allende. Porém, enquanto esperavam para marcar a entrevista, foram informados sobre a chegada do referido grupo de exilados brasileiros e resolveram também entrevistá-los.

Brasil: Relatório sobre a tortura é hoje um documento histórico da maior importância. Entre as entrevistas (depoimentos) merecem especial destaque as de Frei Tito – que, mais tarde, veio a se suicidar na França e de Maria Auxiliadora Lara Barcelos – que também se suicidou no exílio vivido em Berlim.

Vale a pena assistir e compartilhar com os amigos. Afinal, não é vingança que queremos. Não queremos torturar, nem matar quem torturou e matou. Queremos apenas exercer o direito a memória e a verdade. E queremos também justiça e o fim da impunidade de torturadores, estupradores e assassinos que em nome da “democracia” torturaram e mataram centenas de  homens e mulheres que queriam apenas construir um país melhor para todos os brasileiros.

Finalmente, importante registrar e refletir sobre a mensagem (em inglês) que aparece ao final do documentário:

“ENQUANTO ESTE FILME É LANÇADO O GOVERNO MILITAR BRASILEIRO CONTINUA A TORTURAR PRISIONEIROS E A NEGAR DIREITOS HUMANOS BÁSICOS. O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS FORNECE MAIS AJUDA POLICIAL E MILITAR AO BRASIL DO QUE A QUALQUER OUTRO PAÍS SULAMERICANO.”

Confira:

TwitterWhatsAppFacebookGoogle+PinterestCompartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*