»

set 21

Imprimir Post

20 de setembro de 2016 – Ritos de Criação

“Hoje foi uma péssima noite e ao mesmo tempo não foi. Semana passada perdemos quatro dos melhores membros de meu bando, mas eu não tinha tempo para lamentar. Sou a ductus do meu bando e uma líder não deve se deixar abater, pelo menos diante dos seus liderados. Era urgente substituir o insubstituível. Pedi aos meus irmãos de bando que adiantassem o processo de recrutamento. Mantemos constantemente a observação sobre o rebanho para possíveis aquisições futuras.

LogoBloodlineBrujahAntitribuEduarda já vinha insinuando há algum tempo um possível recrutamento, em relação ao qual eu opunha certa resistência até essa noite. Tudo o que eu não precisava entre meus soldados era de um adulto mimado e frustrado. Não sabia o que Eduarda tinha visto nesse indivíduo. Parecia tudo, menos um potencial Brujah antitribu. Ao conhecê-lo mantive minha posição, mas logo depois observei a química entre os dois. Parecem ter um química perfeita. Ela quer transformá-lo e ele quer ser transformado, em todos os sentidos. Ele tem coragem – ou seria apenas destemor? Nada pareceu incomodá-lo e ideologicamente se ajusta com perfeição aos preceitos do Coração Selvagem seguido por Eduarda. Como contribuirá para o desempenho do bando ainda é uma incógnita para mim, e penso que para ele mesmo, mas com o passar do tempo aprendi a confiar na intuição da Eduarda. O recruta foi o primeiro a despertar do abraço e totalmente sob controle. Gostei disso.

LogoClanTzimisceSem tanta surpresa, Luiz apresentou seu recruta, Joaquim Pacheco. Um médico um tanto quanto obcecado com suas pesquisas. Não sei até onde acrescentará algo novo ao bando. A princípio, parece uma replicação do próprio Luis. Qual a vantagem de dois peritos, quando estamos tão deficientes em relação a guerreiros. Sem sombra de dúvida, ele tem o perfil para um Tzimice e será um bom discípulo para Luiz. talvez essa seja a principal utilidade dele. Caso algum dia Luiz caia nos braços da Morte Final, seu pupilo poderá estar pronto para substituí-lo, uma espécie de reserva. Não deixa de ser uma estratégia ainda não tentada por mim: trabalhar com uma equipe reserva.

LogoBloodlineKiasydO terceiro recruta foi uma experiência inusitada para mim. Raphael trouxe seu escolhido, Anderson da Silva, um hacker ex-militar e negociante de armas ligado ao crime organizado do Rio. Imediatamente, percebi que o recruta era inadequado para ser vampirizado por um Kiasyd. Aliás, não vejo como Raphael ainda não percebeu que nem tão cedo autorizarei a ele vampirizar qualquer recruta. Sei que é frustrante para ele, mas até que eu entenda exatamente seu clã manterei essa opção. Eles são muito robóticos e Raphael me parecem descolado da seita algumas vezes. Por outro lado, simpatizei com ele. Vi alguma coisa que não entendo. Intuição? Não, é uma certeza de que há um potencial dentro dele. Na verdade, ele me lembra o Eric. Isso faz sua presença ser incômoda e, ao mesmo tempo, há um desejo em mim de que ele esteja no bando, de que possa valer a pena apostar nele. O mais difícil para mim é a expectativa. Não quero me ligar a ele  como fiz com Eric. Nossas atividades não permitem criar expectativas. Ele terá muito a aprender e farei isso ao meu modo. Um Ventrue antitribu tem que ser mais do que um vampiro. Ele tem que aprender a ser um líder, um estrategista e o melhor entre os nossos. Nosso clã é superior a qualquer Lasombra egocêntrico. Nós conseguimos ter uma visão do todo e eu preciso ter certeza de que Anderson consiga dar conta. Senão, eu mesmo tenho que me ocupar da responsabilidade de não ter alguém indigno com meu meu sangue.”

Durante o Ritual de Criação, o Arcebispo Gratiano de Verronese apareceu desfilando sua empáfia e vaidade. Não entendo esse homem. Não entendo a PAX CARIOCA e como ele chegou a ela. Se fosse apenas um acordo, seria claro. Se fosse o resultado de negociações, eu entenderia. Mas é apenas um estado silencioso. Para mim, silencio desse porte beiram o segredo ou a vergonha, ou ambos e eu não me sentirei confortável até descobrir como se instituiu. Não sei se esses novos recrutas poderão ajudar, mas é pagar para ver.”

(Amanda, Ductus)

Link permanente para este artigo: http://culturadigital.br/roteiro/2016/09/21/20-de-setembro-de-2016/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*

Pular para a barra de ferramentas