«

»

jan 18

Imprimir Post

Vassouras: as duas faces do tapete (2)

Av. Otávio GomesO bando resolve adotar uma abordagem menos agressiva e preferem ir até o hotel para tentar entrar em algum tipo de acordo com os Espíritos que habitam o hotel. Ligam para tentar falar com Lucio, mas aparentemente ele não está e quem os atende é alguém que se identifica como Ângelo. Ele parece ser uma pessoa um tanto áspera, mas aceita conversar com eles no hotel, assegurando que estarão em segurança.

Todos se encaminham para o hotel. Obviamente receosos. Lá chegando, são recebidos por Ângelo ainda no saguão do hotel. Os passos dele pesam sobre a escada velha de madeira que range, dobrando-se sobre o grande peso e estatura do homem que desce. cabelos anelados castanhos não muito volumosos, barba rente e cuidadosamente aparada. Quase dois metros de altura, ao longo dos quais músculos se espandem lateralmente formando uma conjunção maciça e compacta.

– É bom que sejam diretos, pois eu não gosto de perder tempo. Vocês disseram que querem conversar com Lúcio. Vamos direto ao motivo. Sobre o que? isso vai determinar o rumo da conversa e se vocês não deverão se retirar imediatamente.

Eles explicam que estão atrás de seus amigos que sabem estar alí, mas que estariam dispostos a negociar a libertação deles. Ângelo se mostra bem mais interessado quando a questão é posta em termos de negociação. Joaquim se sente incomodado pela perfeita simetria no rosto de Ângelo, quase um ideal helênico de beleza de rosto e em ideal heroico de corpo hercúleo.

Ângelo guia os vampiros até o primeiro andar. E adentram um salão finamente decorado com estilo renascentista digno de uma das salas de Versailles. Dentro, Lucio e Marta conversam em um sofá, tomando champanhe, enquanto outras duas pessoas sorriem em uma conversa paralela. O ar é ameno e informal.

Lucio os olha e pede para que entrem e se acomodem, o que todos fazem. Anderson é atraído por Marta, que retribuindo o sorriso desliza em passos leves até ele, sentando-se no mesmo sofá. Joaquim inicia a conversa com ar solene. Expõe os mesmos argumento iniciais apresentados a Ângelo. Lúcio ouve e através de uma metáfora sobre instituições bancárias, coloca seus termos. Está aberto à possibilidade de trocar os três por algo que seja mais valioso. Joaquim oferece outros vampiros em substituição e Lucio parece interessado, desde que sejam mais poderosos que os que possui. Esclarece que não agiu contra os vampiros que estão em sua posse e que eles lhes foram dados como pagamento por um outro acordo que não estariam dispostos a revelar por “sigilo profissional”. As metáforas entre os debatentes parece irritar bastante Ângelo, que logo revela sua impaciência com jogos argumentativos. As tentativas de negociação continuam sem muitos frutos até que Gabriel faz referências que colocam em cheque a confiabilidade de Lucio e dos demais. Estes de forma extremamente orgulhosa reagem mal e começam a “aumentar o valor” das negociações como retaliação.

Joaquim tenta contornar e dialogar, mas as ações de Anderson e Gabriel não auxiliam muito a negociação. O resultado é o contínuo aumento da tensão. Ângelo pergunta se desvia do motivo do encontro e começa a flertar com Marta, cuja “reciprocidade” parece ser em relação a pretenções bem distintas. Marta ainda não havia se apresentado formalmente e Anderson pergunta se pode saber saber seu nome, ela concorda impondo uma condição:

– Sim, desde que eu possa ter acesso ao se ‘nome verdadeiro’.

Ele concorda e lhe diz se chamar Marta, deixando-o eufótico a ponto de não perceber o movimento das mãos de Marta, que retira das vestes negras como se as penetrasse uma pequena joia. Ela diz que já que ele concordou saberá seu ‘verdadeiro nome’, fechando as mãos sobre a joia. Quando Andersom começa a fazer menção ao seu nome, Marta já não está mais interessada e diz já saber. Ele não entende bem a reação dela, que subtamente parece ter se desinteressado.

A discussão avança. As tentativas de mudanças de termos começam a irritar Lucio, que decide que cada vampiro no hotel terá de ser negociado separadamente. Marta fita os olhos de cada um dos presentes e seus laços com os vampiros aprisionados. Assim, fica determinado que Joaquim deverá negociar o corpo de Luis com Ângelo. Antônio negociará o corpo de Eduarda com Lúcio. Enquanto Anderson e Gabriel deveriam negociar o corpo de Amanda. Rafael e Amanda Fake não são direcionados.

A negociação reinicia com Ângelo, que propõe a Joaquim um pedaço de sua alma e três favores cobráveis a qualquer tempo pela libertação de Luis ileso tal como chegou. Joaquim tenta reverter apenas para os três favores. Gabriel intervém na negociação, sugerindo que nada garante que Ângelo vá cumprir a sua parte e deixar Luis sair ileso, o que ofende muito Ângelo.

Enquanto isso, Marta toma uma iniciativa diferente em relação a Anderson e Gabriel. Ao invés de estabelecer o preço, pergunta o que eles ofereceriam por Amanda. Anderson retira do bolso um saco plástico contendo cocaína e o apresenta como oferta, informando que se precisar de mais teria um carregamento inteiro. Novamente, Anderson é surpreendido por Marta, que sorri e aceita prontamente. Não apenas Anderson, mas toda a sala, incluindo os aliados de Marta se surpreendem. Ela então finaliza os termos:

– Que assim seja. Aceito sua oferta deste saco de cocaína como mostra do quanto vale para você a vampira que te criou. Você sairá com ela daqui são e salva, bem como plenamente consciente de tudo o que ocorreu nesta sala e quanto você demonstrou se importar com ela.

Anderson percebe imediatamente na armadilha que caiu. O preço de Marta não foi o produto que ele ofereceu, mas sua condenação a algo bem pior. O desprezo ou talvez a ira de sua senhora.

Lucio propõem a Antônio a troca de Eduarda por alguém mais valioso e mais poderoso. Antônio pergunta quem e Lucio informa que deve ser levado para ele, no prazo de um ano, o homem que fez com que Eduarda abrisse mão de sua própria humanidade para se tornar uma vampira. os demais não entendem a proposta, mas Antônio parece saber ao que Lucio se refere. Antes de aceitar, Lucio enfatiza que se dentro de um ano, tal pessoa não lhe for trazido, Lucio partirá atrás de Eduarda e Antônio como restituição e juros do que lhes foi prometido e não pago. Antônio aceita sem impor condições.

A discussão retorna a Joaquim

O grupo começa a sair com os corpos, enquanto Gabriel fica para trás. Ele vira-se para Lucio e conta a piada feita por Coringa no final de “A Piada Mortal”. Lucio que já estava se sentindo ofendido e incomodado com o comportamento de Gabriel asume forma incandescente e faz com que Gabriel entre em combustão encontrando a morte final.

 

 

Link permanente para este artigo: http://culturadigital.br/roteiro/2017/01/18/vassouras-as-duas-faces-do-tapete-2/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>


*

Pular para a barra de ferramentas