Sob o tema O que nos separa já sabemos, mas o que nos une?, foi aberto neste domingo, 12 de setembro, o 8º Congresso Brasileiro de Cinema e Audiovisual (CBC). O evento acontece até o dia 15, em Porto Alegre, reunindo profissionais e especialistas de todo o País com o objetivo de articular uma discussão ampla, que contemple os mais diversos segmentos da indústria audiovisual e todos os elos da cadeia produtiva brasileira.

Cerca de 70 instituições ligadas ao setor já confirmaram presença, além de personalidades do audiovisual brasileiro como Lucy e Luis Carlos Barreto, Gustavo Dahl, Roberto Farias, Geraldo Sarno, João Daniel Tikhomiroff, Maurice Capovilla, Tereza Cruvinel (presidente da Empresa Brasileira de Comunicação) e Manoel Rangel (presidente da Agência Nacional do Cinema), dentre outros.

Os participantes se organizarão em grupos de trabalho (GTs), painéis de discussão e haverá também atividades culturais. O objetivo é colocar em pauta questões que norteiam e determinam a produção audiovisual atual. Produção, infraestrutura, film comission, co-produções internacionais, pesquisa, preservação, crítica, políticas públicas, novas mídias, convergência, exibição, direitos autorias e do público são alguns dos temas que serão analisados e debatidos no Congresso.

A ideia é que os quatro dias de trabalho resultem em propostas e diretrizes que norteiem a atividade do segmento para os próximos anos. Deste encontro, será retirado um documento para ser encaminhado para os candidatos aos governos dos estados e à Presidência da República, com as principais reivindicações e prioridades do setor.