O coordenador da Consumers International, australiano Jeremy Malcolm, apresentou na mesa da tarde desta quarta-feira do Simpósio Internacional de Políticas Públicas para Acervos Digitais a lista dos países-exemplo em direitos autorais, para o bem e para o mal. Veja:

2010 IP Watchlist
(IP significa Intelectual Property – propriedade intelectual)

Os melhores (top 10):
Índia
Líbano
Israel
EUA
Indonésia
África do Sul
Bangladesh
Marrocos
Suécia
Paquistão

Os piores (last 10):
Chile
Jordânia
Reino Unido
Quênia
Tailândia
Argentina
Brasil
Zâmbia
Egito
Japão

Para Malcolm, o resultado de uma lei tão restritiva, como a brasileira de 1998, é a pirataria. Uma pesquisa apresentada por ele mostra que a maioria dos brasileiros compraria produtos legais se a lei e o acesso (preço, oferta) fossem razoáveis.

Numa visão global, a América Latina é o pior continente em leis de direitos autorais, o mais restritivo – e isso não tem a ver com a riqueza do país. “Mas deveria ter uma relação”, afirma o pesquisador. “Assim comprovamos que a proteção demasiada não está relacionada a metas de desenvolvimento do país nem há preocupação com maior acesso da população pobre a bens culturais.”

Tags: , , ,