Sobre

A adoção dos novos aparatos tecnológicos de transferência e depósito da informação influencia, cada vez mais, os fenômenos culturais contemporâneos. Desde meados do século 20, as inovações das telecomunicações e da computação realizam uma substituição gradual dos sistemas analógicos por sistemas digitais de registro de textos, sons e imagens. Suportes físicos como livros, filmes e discos deixam de ser imprescindíveis para a memória, a expressão e a transmissão do conhecimento, instaurando um novo contexto em que devem ser contempladas pela sociedade e o Estado as questões relacionadas à democratização do acesso e valorização da diversidade.

A transformação da materialidade dos bens culturais em unidades de dados codificados (bits) representa uma profunda alteração nos processos de produção, reprodução, distribuição e armazenamento dos conteúdos simbólicos. Essa mudança traz consigo, também, uma significativa reformulação de paradigmas que afeta, direta ou indiretamente, os modos de organização das cadeias econômicas que circundam as expressões culturais e os valores estéticos. A era digital da cultura passa exigir políticas integradas que possam reverberar nos distintos domínios dos saberes e das práticas, a fim de assegurar a existência de uma esfera pública fortalecida, autoconsciente e aberta à inclusão das diferenças constituintes do pluralismo social brasileiro.

Atento a esse processo de transformação o Ministério da Cultura lançou em julho de 2009 o Fórum da Cultura Digital Brasileira com o objetivo de agregar em uma plataforma web pessoas e fluxo de conteúdos ligados à construção de políticas públicas e marcos regulatórios para o digital.

Em três anos de atividade, a plataforma estimulou a participação de mais de 7 mil integrantes, que criaram quase 2 mil blogs, 400 grupos de discussão e 500 fóruns, até julho de 2012. Debates importantes, como a criação do Marco Civil da Internet, proposto pelo Ministério da Justiça em 2010, usaram a rede não apenas como espaço de discussão, mas como ferramenta para a colaboração do público e sistematização de contribuições enviadas ao projeto de lei. A importância da rede foi reconhecida mundialmente em 2010 ao receber a menção honrosa na categoria Comunidades Digitais do Ars Electronica, um dos mais importantes prêmios da área.

Além das discussões virtuais, a rede realizou uma série de encontros presenciais, dentre os quais se destacam o Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira, que ocorreu em novembro de 2009, e o II Fórum da Cultura Digital Brasileira, em novembro de 2010, ambos na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

Em julho de 2012, a plataforma inaugura uma nova fase, dedicada a reforçar os conteúdos hospedados na rede. Reforçar os blogs é uma diretriz. Estudos de uso da rede apontaram que esta é uma das principais vocações do CulturaDigital.Br, que passa então a assumir-se como “uma plataforma pública de blogs”. Essa função de conversação e produção de conteúdo faz com o que o CulturaDigital.Br siga exercendo um papel de referência para os usuários das redes culturais e das instituições públicas brasileiras.

Para participar, basta fazer o cadastro (clicando na aba Registre-se na página inicial), criar o seu blog (aparecerá como opção ao fazer o registro) ou interagir em qualquer outra das formas propostas.

Tire suas dúvidas sobre como usar a plataforma em FAQs.

    Comentários (3)

    Imagem CAPTCHA
    *