Senzala High-Tech

Com artistas que são fortes candidatos a explodir mundialmente como Liniker, Rico Dalasam, Tássia Reis, As Bahias e A Cozinha Mineira e Russo Passapusso, a nova corrente de “música preta brasileira”, como Liniker já defiiniu, é diversa, vai do funk das favelas ao funk da Motown. Ela também recupera o lado mais psicodélico e rebelde da MPB e abre discussões importantes para questões de gênero e raça.

Entre os nomes novos que não param de surgir está o do Senzala Hi-Tech, que faz uma aproximação entre afrofuturismo e brasilidades. Recentemente, o quarteto foi destacados pelo Afropunk, hypada plataforma black de Nova York, como algo a se ficar de olho na nova cena de São Paulo.

Aqui, ó: http://www.geledes.org.br/com-afrofuturismo-senzala-hi-tech-se-une-nova-corrente-da-musica-preta-brasileira/