Foi pensando em dar instrumentos para que a sociedade, de forma pró-ativa, conquiste espaços, troque experiências e desenvolva ações de incentivo à cultura e à cidadania, que se criou o Programa Cultura Viva.

“O Programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura, assume a cultura, a educação e a cidadania, enquanto incentiva, preserva e promove a diversidade cultural brasileira. Por meio da Secretaria de Programas e Projetos Culturais iniciou, em 2004, a implantação dos Pontos de Cultura, com a missão de ‘desesconder’ o Brasil, reconhecer e reverenciar a cultura viva de seu povo”.

Através de uma gestão compartilhada, cujo protagonista é o cidadão, o programa incentiva ações que despertem a arte, a cultura, a cidadania e a economia solidárias nas comunidades. Para tanto, são criados os Pontos de Cultura, uma parceria entre governo e sociedade civil. Selecionados por meio de edital público através de convênio com a Secretaria de Cidadania Cultural (SCC-MinC) e governos estaduais, os Pontos de Cultura recebem R$ 180 mil, em três anos de convênio, para a realização de suas atividades.

Atualmente são cerca de 2500 Pontos de Cultura espalhados pelo país e que reconhecem a cultura em suas mais diversas formas e nos mais diversos locais. Junto aos Pontos de Cultura, o Programa abarca outras quatro importantes ações:

  • Cultura Digital: objetiva dar suporte tecnológico aos Pontos de Cultura através de recursos para a compra do kit multimídia ( ilha de edição com computador conectado à internet, câmeras de vídeo e de fotografia, dentre outros equipamentos) e das Oficinas de Conhecimentos Livres, que capacita os integrantes dos Pontos no uso dos equipamentos. Vale destacar que a ação Cultura Digital está baseada nos conceitos do Software Livre e da Metareciclagem, tudo para que os atores se vejam como sujeitos de sua própria transformação. Saiba mais aqui
  • Agente Cultura Viva: busca capacitar e articular os Pontos de Cultura que desenvolvem projetos ou apóiam grupos de jovens. A idéia é incentivar o protagonismo juvenil, fazendo com que esses jovens sejam atores, lutem por sua cidadania e compreendam as potencialidades da cultura.
  • Griô: é uma referência à palavra francesa griot, usada por jovens africanos, durante seus estudos em universidades francesas, que se preocupavam com a preservação de sua tradição oral. Portanto, esta ação busca estimular a tradição oral nas comunidades. Os griôs e contadores de histórias recebem, durante um ano, bolsas de trabalho no valor de R$ 350 mensais, para divulgarem e pesquisarem a tradição oral do país.
  • Escola Viva: busca a integração dos Pontos de Cultura nas escolas e aproximação dos estudantes à cultura do país. Para tanto, foi lançado edital conjunto entre os Ministérios da Cultura e Educação que incentiva projetos pedagógicos na área da cultura. A ação também permite que os Pontos se transformem em “Parque da Escola”, oferecendo atividades culturais antes ou após os horários das aulas.
Be Sociable, Share!