Arquivos da categoria: Notícias

Semana de Cultura Viva Comunitária acontece em São Paulo  

De 2 a 7 de dezembro, a capital paulista e outros territórios do estado recebem atividades de intercâmbio, formação e reflexão sobre políticas públicas, economia social e outros temas fundamentais do campo da cultura na América Latina

Representantes de organizações e redes culturais comunitárias de 17 países da América Latina se encontram em São Paulo, de 2 a 7 de dezembro, para participar da Semana de Cultura Viva Comunitária.  A mobilização, que também terá a participação de Pontos de Cultura de São Paulo e de outros estados brasileiros, tem o objetivo de promover o intercâmbio e a integração entre os grupos participantes, que simbolizam a diversidade cultural latino-americana.

I Congresso Cultura Viva Comunitária Argentina realizado em novembro de 2014 - Foto: Divulgação
I Congresso Cultura Viva Comunitária Argentina realizado em novembro de 2014 – Foto: Divulgação

“Ter a cultura na centralidade do desenvolvimento do nosso continente passa pela mobilização das pessoas que dão vida a esse tema em seus territórios. Nesse sentido, momentos de troca e construção coletiva como esse são fundamentais”, explica Alexandre Santini, um dos organizadores do Encontro. A Semana de Cultura Viva Comunitária terá como público Griôs e Mestres  de tradição oral, coletivos periféricos, representantes indígenas, povos tradicionais de terreiro  e representantes de organizações culturais comunitárias latino-americanas e da cultura popular brasileira.

As atividades de diálogo, formação e reflexão vão acontecer em duas etapas e terão como temas a mídia Livre, a economia social, territórios como espaço de diversidade cultural, tecnologias sociais e a formulação e o desenvolvimento de políticas públicas de cultura.

A primeira etapa consiste num circuito de intercâmbios entre os representantes latino-americanos e os Pontos de Cultura do estado de São Paulo e terá 12 ciclos de atividades na capital, Regiões Metropolitana e do ABC, Baixada Santista e Interior.

Já a segunda acontece em diversos equipamentos culturais da capital paulista, como o Paço das Artes, a Fundação Nacional de Artes – FUNARTE e o Parque Ibirapuera, e terá atividades culturais de intercâmbio e formação, além do III Encontro do Conselho Latino-Americano de Cultura Viva Comunitária.“Durante a segunda etapa, teremos vários encontros interculturais, étnicos e territoriais que vão acentuar o intercâmbio cultural e a integração entre Pontos de Cultura do Brasil e projetos culturais da América Latina”, ressalta Thiago Vinicius Paula, que também participa da organização do Encontro.

As atividades compõem a agenda comemorativa dos 10 Anos de construção do Programa Cultura Viva e da política da cidadania e diversidade cultural brasileira, que agora é Política Nacional de Cultura Viva (Lei n° 13.018, de 22 de julho de 2014).

II Encontro do Conselho Latino-Americano de Cultura Viva Comunitária na Bolívia em 2013 - Foto: Divulgação
II Encontro do Conselho Latino-Americano de Cultura Viva Comunitária na Bolívia em 2013 – Foto: Divulgação

O Encontro é realizado pela Plataforma Puente Cultura Viva Comunitária, União Popular de Mulheres, Agência Solano Trindade, Laboratório de Políticas Culturais da UFRJ, Ponto de Cultura NINA (SP), ONG Ilú Obá De Min e Rede Afroambiental. Tem o apoio das Secretarias de Cultura do Município e do estado de São Paulo, da FUNARTE e da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura e também foi viabilizado a partir da parceria entre a Rede Mocambos, Ação Griô, Universidade das Culturas e Rede Fora do Eixo.

Participe

A programação detalhada da Semana de Cultura Viva Comunitária será disponibilizada em breve. Inscreva-se em http://bit.ly/SemanaCulturaViva e confirme presença no evento http://on.fb.me/1tgRMjd.

Demais interessadxs podem promover intercâmbios com a rede de Cultura Viva Comunitária pelo email plataformapuentebrasil@gmail.com.

Saiba mais

Plataforma Puente Cultura Viva Comunitária

Consiste numa ação mista do poder público e da sociedade civil pelo fortalecimento e a multiplicação das organizações culturais em toda a América Latina. É uma rede de redes que se fundamentou no projeto Cultura Viva Comunitária, tendo como fim o fortalecimento das organizações comunitárias e a incidência na construção de políticas públicas em todo o continente. Entre as demandas da plataforma está a destinação de 0,1% dos recursos nacionais para a Cultura Viva.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar
banner.artigo1-12

Lei Cultura Viva é aprovada no Senado e retorna à Câmara para aprovação final

O PLC 90/2013 deve ser votado na Câmara nesta terça-feira (10)

 Na última quarta-feira (4), a Lei Cultura Viva foi aprovada no Senado Federal.  Assinado pela deputada Ana Rita Esgario (PT-ES), o substitutivo ao Projeto de Lei da Câmara (PLC) 90/2013 institui a Política Nacional de Cultura Viva, destinada a promover a produção e difusão da cultura e fomentar o acesso a direitos culturais dos diferentes núcleos comunitários de cultura. O texto original do PLC 90/2013 é de autoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

O trâmite final para a aprovação da Lei Cultura Viva acontece no ano em que o Programa Cultura Viva completa 10 anos. Até o momento, 4080 Pontos de Cultura já foram conveniados pelo Ministério da Cultura e efetivam a política comunitária de cultura, implementada desde 2005 pela instituição.

Para Pedro Vasconcellos, diretor da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC), a aprovação da Lei Cultura Viva vai garantir o fortalecimento e a ampliação dos Pontos de Cultura, na medida em que consolida o Programa Cultura Viva como uma política de estado.

“É uma inovação importante nas políticas culturais, na medida que estamos reconhecendo em Lei o protagonismo social de milhares de grupos culturais em todo território nacional. É uma inversão na lógica do estado”, explica Pedro Vasconcellos.

O PL 90/2013 deve retornar à Câmara dos Deputados para ser votado nesta terça-feira (10). Durante a TEIA da Diversidade, o presidente da casa declarou: “No mês de junho, a Câmara dos Deputados vai aprovar a Lei Cultura Viva”.

Após a aprovação final na Câmara, a Lei Cultura Viva segue para sanção presidencial. Acompanhe aqui a tramitação do PL 90/2013.

 

 

Moções de Aplausos aprovadas na TEIA da Diversidade

No encerramento da TEIA da Diversidade, que aconteceu dia 24 de maio em Natal (RN), foram apresentadas as Moções de Aplausos aprovadas pela plenária final do encontro. Confira:

___________________________________________________________________

A todos que trabalharam na organização da TEIA da Diversidade 2014.

Ponto de Cultura do Brasil

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

Aos trabalhadores da organização da TEIA NACIONAL DA DIVERSIDADE 2014, em especial aos estudantes do IFRN e da UFRN.

Pontos de Cultura do Brasil

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

 

 

 

 

 

 

Moções de Repúdio aprovadas na TEIA da Diversidade

No encerramento da TEIA da Diversidade, que aconteceu dia 24 de maio em Natal (RN), foram apresentadas as Moções de Repúdio aprovadas pela plenária final do encontro. Confira:

___________________________________________________________________

Ao juiz da 17° Vara da Fazenda Federal do Rio de Janeiro, Eugênio Rosa de Araújo, ALERJ e Ministério da Fazenda pelos seguintes motivos:

A assinatura pelo juiz em questão que assinou no dia 24 de Abril decisão que alega a falta de “traços necessários de uma religião” à Umbanda e ao Candomblé.

Fórum dos Pontos de Cultura do Estado do Rio de Janeiro

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

Ao Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e Fundação Florestal a omissão junto à violência ocorrida nas Comunidades Tradicionais do Vale do Ribeira contra caboclos, quilombolas e caiçaras e à criminalização de suas distintas formas de saberes;

À lentidão da justiça nas investigações do assassinato de Laurindo Gomes, Iporanga – SP e ao atentado de morte que causou a perda dos movimentos de um dos braços à uma das lideranças do Quilombo de Bombas, o Sr. Toninho Ursulino.

Pontos de Cultura, Movimento Hip Hop, Povos de Matrizes Africanas, Povos de Terreiro e Povos Indígenas

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

À Cultura de Violência, silêncio e esquecimento histórico e contemporâneo nas comunidades e favelas do Rio de Janeiro.

Ao silêncio em relação a remoção da Comunidade do Horto em âmbito nacional pelos órgãos de Memória e Patrimônio, ainda que haja ali o Museu do Horto, reconhecido e legitimado pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM/MinC).

GT de Memória e Museologia Social

Pontos de Memória, museus comunitários, ecomuseus e demais iniciativas de memória reunidas na Teia Nacional da Diversidade Cultural

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

À desorganização e falta de respeito para e com a Cultura Hip Hop, pela não inclusão da mesma em espaços para a sua valorização, promoção e difusão na programação oficial do Fórum Nacional dos Pontos de Cultura e no TEIA Nacional da Diversidade.

Pela falta de sensibilidade e consequente invisibilidade ao enfrentamento do genocídio das juventudes pretas, pobres e periféricas, pela falta de diálogo com instituições como o IPEA, pela falta de entendimento do Minc, Fundação Palmares, IPHAN, entre outros e pelo descaso com que tratou esta cultura e militância.

GT de trabalho da Cultura Hip Hop dos Pontos de Cultura do Brasil

Rede Nacional da Cultura Hip Hop em Movimento Social

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

Moções de Apoio aprovadas na TEIA da Diversidade

No encerramento da TEIA da Diversidade, que aconteceu dia 24 de maio em Natal (RN), foram apresentadas as Moções de Apoio aprovadas pela plenária final do encontro. Confira:

___________________________________________________________________

A federalização do ensino público e transformação de escolas em Pontos de Cultura.

José de Oliveira Luiz, poeta, ator, escritor

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

A aprovação da Lei Cultura Viva e da Pec 150 e a inclusão do Marco Regulatório das Organizações Sociais.

MROSC

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

Ao Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados

Ao teatro acessível tornar-se uma prática cotidiana no país.

ONG Escola de Gente – Comunicação em Inclusão, participantes do IV Seminário Nacional de Acessibilidade em Ambientes Culturais, II Encontro Nacional de Acessibilidade Cultural e participantes da Teia Nacional da Diversidade 2014

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________
A extensão do curso de Pós-Graduação em Acessibilidade Cultural em todos os estados do Brasil, através de universidades federais.

GT Acessibilidade Cultural formada na TEIA 2014

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

Pelo imediato reconhecimento e titulação dos territórios caboclos e quilombolas do Vale do Ribeira;

Pela retirada da sobreposição do Petar (Parque Estadual Turístico do Vale do Ribeira) junto às comunidades caboclas do Ribeirão do Camargo e quilombolas do Vale do Ribeira;

Pelo direito a políticas públicas de saúde, educação, direito de ir e vir/estradas dignas, energia, comunicação e outros, à todos os cidadãos brasileiros do território brasileiro.

Pontos de Cultura, Movimento Hip Hop, Povos de Matrizes Africanas, Povos de Terreiro e Povos Indígenas

Natal/RN, 24 de Maio de 2014

___________________________________________________________________

Documentos da TEIA da Diversidade

 

banner.clipping-02

Clipping da TEIA da Diversidade – 23 a 26 de maio

FONTE: Bom Dia RN / TV Cabuji (Rede Globo) (Veiculado em 23/05/2014)

Captura de tela 2014-05-25 às 07.59.59

_________________________________________________________________________

FONTE: TV NBR (veiculado em 26/05/2014)

_________________________________________________________________________

FONTE: A Voz do Brasil (veiculada em 23/05/2014)

Captura de tela 2014-05-25 às 08.22.28

_________________________________________________________________________

FONTE: EBC (Publicado em 23/05/2014)

Teia da Diversidade termina neste sábado com público estimado em 7 mil pessoas

Noelle Oliveira e Leandro Melito

Bloco Ilú Obá de Min se apresenta na Teia da Diversidade em Natal (Leandro Melito / Portal EBC)

Após seis dias, e um público de cerca de sete mil pessoas, a Teia da Diversidade 2014 se encerra neste sábado, marcando, após quatro anos sem um evento nacional, o encontro de Pontos de Cultura de todo o País. Segundo o Ministério da Cultura, foram 2,5 mil pontos credenciados e cerca de três mil participantes nos fóruns temáticos. Estiveram presentes no Fórum Nacional dos Pontos de Cultura, que ocorreu nos dois primeiros dias de evento, 715 delegados (representantes temáticos) de diversas regiões.

Confira cobertura completa no Portal EBC

O evento contou ainda com 220 palestrantes, em 278 atividades, além de 700 artistas. “Foi um momento de reconectar e ampliar essa conexão. A teia é permanente, tem que ser redonda, circular. Mostramos aqui o que temos de mais rico, essa nossa diversidade, um patrimônio que precisa ser preservado”, avaliou a secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Márcia Rollemberg. De acordo com a representante do Minc, a ideia é fortalecer as teias municipais, estaduais e regionais. “Queremos que o movimento se desdobre nos territórios, tanto que a ministra Marta Suplicy se comprometeu em enviar uma grande carta aos prefeitos do País firmando um pacto de cidadania e diversidade”, adiantou. “Precisamos avançar em direitos que já estão na lei”, concluiu.

Conheça histórias de pessoas que passaram pela Teia da Diversidade 2014

A capital Natal (RN), que sediou o evento realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), também sai com um balanço positivo da Teia. Durante o encontro foi instituída no estado a Secretaria de Cultura. O prefeito Carlos Eduardo anunciou, ainda, 1% do orçamento anual estatal, além da renúncia fiscal para ações de apoio cultural.

Nacionalmente, o balanço da Teia 2014 inclui o lançamento de R$ 9 milhões em editais — para grupos ciganos, de cultura afro e de expressões culturais urbanas e rurais –, a partir da próxima semana, além da assinatura de decreto pela presidenta Dilma Rousseff , na sexta-feira (23), que facilita e regulamenta os convênios entre União, estados e municípios com organizações da sociedade civil. Parlamentares que compareceram ao evento também se comprometeram em agilizar a aprovação do Projeto de Lei Cultura Viva e a dar andamento ao trâmite da PEC 150, que trata da vinculação de recursos de orçamento da União para a Cultura. Ainda durante o evento, foi apresentada a Carta de Natal, documento que resume o resultado do IV  Fórum Nacional dos Pontos de Cultura e que apresenta as principais demandas e reivindicações dos grupos presentes.

Ouça a leitura da Carta de Natal:

Confira Carta do I Fórum Nacional de Gestoras e Gestores do Programa Cultura Viva

_________________________________________________________________________

FONTE: Portal G1 (Publicado em 23/05/2014)

TEIA Nacional da Diversidade ocorre até este sábado (24) em Natal

Evento começou segunda (19) e acontece em diferentes lugares da cidade.
Agenda conta com seminários, conferências e vários tipos de espetáculo.

Do G1 RN

 O 5º Encontro Nacional dos Pontos de Cultura – TEIA Nacional da Diversidade 2014 – começou nesta segunda-feira (19), em Natal, e segue até sábado (24) . Uma área de 7 mil metros quadrados, montada com tendas e pavilhões, abrigam as atividades do evento.

Uma agenda de reuniões, palestras, oficinas, Feira da Economia Solidária e Participativa, Mostra Artística dos Pontos de Cultura, rodas de conversa, fórum, seminários e conferências compõem a programação que está distribuída por sete espaços culturais na cidade de Natal (UFRN, IFRN, SESC, Palco da Ribeira, Casa da Ribeira, Espaço Cultural Rui Pereira), além das salas de aula e auditórios nestas instituições.

Na TEIA da Diversidade, a cultura brasileira se manifesta em mostras artísticas, em shows, espetáculos de outros tipos e performances, e nos diálogos proporcionados por seminários, palestras, minicursos, fóruns, exposições, debates, rodas de conversa, intercâmbios e intervenções urbanas.

A expectativa dos organizadores é a participação de um público em torno de sete mil pessoas, entre realizadores do evento, artistas que participarão das apresentações culturais, representantes de Pontos de Cultura de todo o País, gestores do Programa Cultura Viva e visitantes da comunidade local.

Destaques da programação cultural de hoje e amanhã:

Dia 23 (Anfiteatro UFRN)

18H – Gambá de Maués [AM]
19H10 – Mulheres em Domínio Público [BA]
20H20 – Afoxé Babá Orixalá Funfun [PE]
21H30 – Hesha [RN]

Dia 24 (Ribeira) – a partir das 18h

Grupo Jongo Kianda – [SP]
Cacuriá de Dona Teté – [MA]
Carimbó do Marajó – [PA]
Sirilo da Fusão – [RS]
DJ Tudo [SP]
DuSouto – [RN]

_________________________________________________________________________

FONTE: Tribuna do Norte (Publicado em 23/05/2014)

Cultura Viva na Lei

Um longo intervalo de quatro anos separa a Teia Nacional da Diversidade 2014 da edição anterior, realizada em Fortaleza em 2010, mas a ministra da Cultura, Marta Suplicy, que assumiu a pasta em 2012, considera que o projeto “não foi interrompido”.

Ela esteve ontem (22) em Natal para a abertura oficial do evento – que começou de fato dia 19 e vai até este sábado (24) – e, em entrevista coletiva, falou, entre outros assuntos, sobre a continuidade do programa federal Cultura Viva, que, em seu período de maior atividade – 2004 a 2011 – foi responsável pela criação e fomento de 3.670 pontos de cultura em todo o Brasil.

Segundo a ministra, o governo está empenhado no sentido de aprovar o projeto que cria a Lei Cultura Viva, “para que o programa se torne algo sem volta”. Independente disso, ela não acredita em um retrocesso. “As comunidades hoje são muito fortes, muito estruturadas. A raiz brasileira se apoderou da cultura de forma mais organizada. Eu acho que é muito difícil derrubar isso”, disse.

A coletiva aconteceu às 10h, na UFRN, onde está concentrada a maior parte do evento, e durou menos de dez minutos. Nela, Marta Suplicy informou ainda que anunciaria em Natal, ali na Teia, R$9 milhões em editais, contemplando também setores que não estavam tão inseridos, como comunidades indígenas e ciganos.

Sobre os quatro anos sem Teia, ela afirmou: “Eu não diria que o projeto foi interrompido. Eu diria que esse projeto iniciado na gestão de Lula e Gil é o projeto mais forte que o Ministério da Cultura tem. É um projeto que fala com as nossas raízes, que agrega toda a diversidade cultural brasileira, que é a nossa identidade. E isso faz dessa Teia [a de Natal] algo muito especial, porque pela primeira vez nós temos agregados aos pontos de cultura os movimentos mais diversos, como as comunidades indígenas, LGBT, ciganos e negros. É toda a nossa diversidade que se une, conversa, cria. E isso é a nossa força na cultura”.

A Teia da Diversidade é o encontro nacional dos pontos de cultura e das redes da diversidade que integram o Programa Cultura Viva. A edição que está acontecendo em Natal é a quinta. As outras foram realizadas em São Paulo (2006), Belo Horizonte (2007), Brasília (2008) e Fortaleza (2010).

Secretaria
O Projeto de Lei Cultura Viva, de autoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), presente na abertura da Teia em Natal, foi aprovado por unanimidade nas três comissões temáticas em que foi apreciado na Câmara dos Deputados. “A matéria seguiu para apreciação do Senado Federal e, assim que retornar, será aprovada na Câmara, ainda em junho”, segundo declarou o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves.

Um dos muitos políticos que estiveram na solenidade, ele disse ainda que “o programa Cultura Viva revelou uma extraordinária riqueza cultural até então escondida, a partir de uma ideia muito simples, que é apoiar e potencializar o que já existe.”

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, também esteve na abertura e lembrou da articulação  da Prefeitura com o MinC, no ano passado, para a realização da Teia na capital potiguar. Ele aproveitou o momento para anunciar a criação da Secretaria Municipal de Cultura, que, segundo afirmou, seria aprovada na Câmara Municipal do Natal ontem (22) à tarde.

_________________________________________________________________________

FONTE: Tribuna do Norte (Publicado em 23/05/2014)

Cia Gira Dança se apresenta na TEIA com o espetáculo ‘Terreiro Lumiara’

Divulgação

Divulgação

A Companhia Gira Dança (Natal/RN), selecionada pelo Edital da Mostra Artística Nacional da TEIA Nacional da Diversidade 2014 (Encontro dos Pontos de Cultura do Cultura Viva e das representações da Diversidade que integram o Brasil Plural), apresenta hoje (23), às 20h, o espetáculo Terreiro Lumiara, na Casa da Ribeira.

A Cia Gira Dança faz parte desde 2010 do Programa Cultura Viva, ano em que se tornou Ponto de Cultura, intitulado Ponto de Cultura Giratório.

A TEIA, promovida pela Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDM/MinC) e pela Comissão Nacional de Pontos de Cultura (CNPdC) é realizada em Natal desde segunda-feira (19) e permanece até sábado (24).

_________________________________________________________________________

FONTE: Portal Muda Mais (Publicado em 25/05/2014)

Muda Mais na Teia Nacional da Diversidade 2014

 

Discutir cultura como ferramenta de participação social, como instrumento central para a garantia da identidade histórica brasileira, assegurando a sua multiplicidade de personagens. Assim surgiu a Teia Nacional da Diversidade, que em sua quinta edição, chegou ao Rio Grande do Norte para reunir agentes e protagonistas da cultura brasileira. Para isso, uniram-se os milhares de Pontos de Cultura do país e membros de movimentos para debater inclusão, participação social e ferramentas – governamentais ou civis- de fomento à cultura. Na roda, personagens do movimento afro-brasileiro, de matriz africana, LGBT, indígena, cigano, quilombola, hip-hop, entre outros.

Na roda – ou melhor, nas tendas – a proposta de pensar um Brasil mais inclusivo, com políticas públicas que valorizem e integrem os movimentos, garantindo suas especificidades e salvaguardando a história do povo brasileiro. Ao final, uma agenda pautada nas reais necessidades dos povos, com a chancela da ministra da Cultura, Marta Suplicy. Durante a abertura do evento, a ministra Marta Suplicy anunciou R$ 9 milhões para os Pontos e Cultura e fez uma fala sobre a importância da realização da Teia para a consolidação da identidade cultural do país. Em vídeo, o Muda Mais registrou o momento. Assista!

Nos Grupos de Trabalho, em oficinas, rodas e teias, os debates sobre a necessidade de maior visibilidade, consolidação dos programas criados pelo governo Lula/Dilma em políticas públicas permanentes e protagonismo dos movimentos do país eram temas entre índios, negros, ciganos, e outros participantes. Na cabeça, a certeza da necessidade da manutenção e institucionalização de programas importantíssimos, como os Pontos de Cultura e o programa Cultura Viva.

Assim, diversos personagens se reuniram na Teia com um só tom: manter a agenda pública da cultura sob o protagonismo dos seus personagens (link is external). Negros, índios, brancos, ciganos e quilombolas falam sobre uma coisa só: a importância da Teia como forma de união entre povos, etnias, movimentos e sociedade em geral.

Além disso, no espaço da Teia, foi criado também uma Feira da Economia Solidária e Criativa, com materiais produzidos por esses agentes culturais e seus Pontos de Cultura. Quase todos os estados brasileiros foram ali representados, apresentando, assim, a pluralidade cultural e de manifestações artísticas do país. Dessa maneira, os artistas puderam apresentar sua arte, expandir sua visibilidade e manter a sua história viva. Foi assim com o projeto Beleza Negra, de Dona Isabel de Oiá, e Paulo André, do Ponto de Cultura Xadrez e Damas, de Rondônia. Assista:

Em seu último dia, sábado, 24, a Teia produziu diversas cartas, como a Carta de Natal e a Carta do Fórum Nacional de Gestoras e Gestores do Programa Cultura Viva, com as premissas, solicitações e nortes dos movimentos. Em pauta, a criação de marcos legais e normativos, a necessidade de maior aplicação de recursos culturais como política de Estado, além da desburocratização dos Pontos de Cultura. Cada Fórum pode apresentar suas pautas, definidas em colegiado nos últimos dias, como maneiras legítimas de definir as necessidades reais de cada movimento. Foi assim com o movimento hip-hop, que levou suas demandas à Teia:

E como tudo que é produzido se perpetua na internet, a Teia contou com uma cobertura colaborativa. Na web, todo o conteúdo postado com a hashtag #TEIAdaDiversidade caiu no mundo, através de transmissões, álbuns de fotos, canais de vídeos e rádios, que transmitiram a Teia para todo o mundo.

Com a certeza de que estamos no caminho certo, a Teia vem para unir movimentos, apresentar demandas e fortalecer a compreensão de que a cultura brasileira necessita ser vista em sua diversidade, estimulando seus agentes como representantes únicos da história, cultura e pluralidade do nosso país. Vida longa à Teia!

_________________________________________________________________________

IMG_20140524_172749

TEIA da Diversidade encerra com mais de 600 deliberações dos Pontos de Cultura

Texto: Montserrat Bevilaqua
Foto: Adriano de Angelis

A TEIA Nacional da Diversidade 2014 foi encerrada neste sábado (24), em Natal (RN), com uma plenária que acolheu recomendações à mesa organizadora do evento e à Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SCDC/MinC). Todos os fóruns e grupo de trabalho foram ouvidos. As recomendações serão sistematizadas e documento final será disponibilizado e enviado aos participantes.

Da parte do Fórum Nacional dos Pontos de Cultura, que reuniu 715 delegados e delegadas, houve relato de que 27 fóruns nos estados, com mais de 2 mil delegados, agruparam propostas de grupos temáticos. Assim, 33 grupos temáticos trabalharam e contribuíram no processo que culminou na TEIA da Diversidade em mais de 600 deliberações, propostas a serem replicadas para pontos em todo o Brasil. O Fórum sintetizou suas propostas na Carta de Natal  (leia aqui).Houve intervenção na plenária em favor de a SCDC ampliar a representação do Grupo de Trabalho do Programa Cultura Viva (portaria).

A secretária Márcia Rollemberg (SCDC) esclareceu que o papel do GT consolida o movimento que se cria na TEIA. “A representação da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura será definida com as discussões na base. A área da diversidade está representada pelo Conselho de Política Cultural e o processo é democrático e público. A secretária indicou que se use  a plataforma culturadigital.br para ampliar participações.

“Inovar, confirmar e caminhar juntos. Todo mundo ao lado: essa é a nossa política. A TEIA é horizontal, polifônica e circular”, reforçou Márcia.

Fizeram relatos e entregaram cartas de propostas à SCDC/MinC participantes dos fóruns de Gestores e Gestoras, Indígena, de Cultura Afro-Brasileira, Acessibilidade Cultural, Redes de Pontos de Memória e de Pontos de Cultura.

O Fórum de Gestores e Gestoras também sistematizou uma Carta (leia aqui). Entre os destaques dos povos indígenas, está a anistia aos pontos em condição de inadimplência com o Programa Cultura Viva, e uma ideia apresentada foi a de que se considerasse a possibilidade de utilizar serviços prestados pelos pontos à comunidade. Esse encaminhamento à mesa foi reforçado por outros participantes.

A secretária Márcia Rollemberg explicou que a Presidenta Dilma Rousseff assinou decreto que desburocratiza a prestação de contas de Pontos de Cultura. “Vamos estudar esse pedido à luz das previsões do decreto”, observou.

O Fórum de Acessibilidade Cultural apresentou seis propostas, entre elas um campanha pelo Teatro Acessível e a aprovação do projeto de  lei 6139, instituindo o Dia do Teatro Acessível. Foram requeridas gestões para aprovação até 13 de setembro.

Mais um destaque da plenária foi a instalação de bibliotecas em novos Pontos de Leitura, formação periódica para bibliotecas, intercâmbio, vale-leitura e redução dos custos dos livros.

“Essa pauta é inspiração para a formação de agentes comunitários de cultura, como acontece já no âmbito do livro e leitura. Gostaríamos que todo ponto de cultura fosse ponto de leitura”, comentou a secretária da SCDC.

Depois de ouvir os fóruns, a mesa organizadora da TEIA passou a ouvir grupos de trabalho que trouxeram mais contribuições para políticas publicas. Até o fechamento desta matéria houve manifestações com focos em crianças, promoção do Hip-Hop, entre outras ações. Foi valorizado o programa Mais Cultura nas Escolas, programa a ser potencializado na opinião de participantes da TEIA.

 

banner.umpontonarede

Um Ponto na Rede! A importância da TEIA da Diversidade na voz das Ponteiras

Mestre Lainha

Janete Lainha, da cidade de Ilhéus na Bahia, da Casa de Cultura Popular e do Ponto de Cultura Literatura de Cordel para Todos, mais conhecida como Mestre Lainha, comemora a diversidade de fato e de direito na TEIA da Diversidade. Sabe que ela está no encontro por ser fruto da resistência da cultura popular.

A Rede da TEIA dá a oportunidade para interação entre os vários saberes. Por isso, saúda o Encontro de Natal e ressalta a Lei dos Mestres e dos Griôs.

Vamos unir raízes e asas pela preservação dos Mestre e dos saberes.

Mestre Lainha tem muito a dizer, aproveite e ouça.

https://soundcloud.com/teianacional/mestre-lainha-de-ilheusba-clama-pela-lei-dos-mestre

 

 

Mãe Isabel

Mãe Isabel, estilista e técnica de moda do Ponto de Cultura Caminho da Cidade de Hortolândia/SP. Isabel Cristina foi a coordenadora da Feira de Cultura Solidária da Teia da Diversidade, descreve a política que norteou a construção da Feira da TEIA de Natal/RN.

O Processo da Feira de Economia Solidária foi complicado, mas a gente quis que além da comercialização fosse discutida a política empreendedora no Ministério da Cultura.

Escute e compartilhe o empreendedorismo solidário!

https://soundcloud.com/teianacional/mae-isabel-de-hortolandiasp-para-a-feira-de-cultura-solidaria-da-teia-da-diversidade-em-natalrn

 

 

Isabel de Oia

Maria Isabel, que prefere ser chamada de Isabel de Oiá é do Rio de Janeiro, Belford Roxo na Baixada Fluminense, do Ponto de Cultura Cultura e Beleza Negra.

Isabel nos diz que a troca de saberes é que mantém a cultura viva. Por isso, pede que a TEIA nunca deixe de ser realizada.

Viva a Cultura Viva! Celebre com a gente.

https://soundcloud.com/teianacional/isabel-de-oia-de-belford-roxo-no-rio-de-janeiro

 

 

 

Wanda Martins

Wanda Martins é do Ponto de Cultura e Paz do Instituto Pólis da capital São Paulo.

Indo direto ao tema, conta a sua expectativa pelas discussões políticas da TEIA da Diversidade.

https://soundcloud.com/teianacional/wanda-martins-do-ponto-de-cultura-e-paz

 

 

Stela Cabral

Stela Cabral é representante do Pontão 7 Cidade, que congrega os municípios da Grande São Paulo, com sede em de Diadema/SP.

Stela, celebra os avanços do Fórum Nacional dos Pontos de Cultura, do qual foi uma das precursoras, dos 10 anos do Programa Cultura Viva e da TEIA da Diversidade, “uma emoção sempre”.

Celebre com ela!

https://soundcloud.com/teianacional/stella-cabral-do-ponto-7-cidades-de-diademasp

 

banner.nacionalciganos-03

No Dia Nacional do Cigano, TEIA da Diversidade tem solenidade comemorativa

Encontro também teve roda de conversa sobre políticas públicas para a população cigana

Texto: Priscilla Atalla

“O valor dos ciganos está em extinção, vivemos esquecidos pela sociedade”. As palavras, que passam bem longe do imaginário popular sobre a alegria em torno da vida do povo cigano, são do líder cigano Duarte Cavalcante, que neste sábado (25) conduziu a solenidade comemorativa do Dia Nacional dos Ciganos. O grupo representativo do segmento na TEIA da Diversidade fez apresentações com músicas e danças típicas do seu povo e lembrou dos desafios enfrentados no Brasil.

A roda de conversa sobre políticas culturais, direitos humanos e igualdade racial para povos ciganos, que aconteceu na tarde da última sexta-feira (23), reuniu comunidades vindas de todo país, juntamente com representantes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Secretaria de Políticas para Igualdade Racial (Sepir) e Ministério da Cultura.

Segundo os participantes, o preconceito na vida em sociedade e prejudica seus acessos básicos de direitos. Dados do Disque 100, serviço de utilidade pública da SDH/PR, revelam que as principais violações sofridas pela comunidade cigana são a violência psicológica, seguida da violência institucional.

A coordenadora de Diversidade Religiosa da SDH/PR, Marga Janete Stroher, explicou que os dados batem exatamente com as reivindicações trazidas pelos ciganos. “A violência psicológica é o preconceito sofrido nas ruas e a institucional  perpassa pelos serviços de atendimento aos cidadãos”.

Marga apresentou as políticas da Secretaria em prol do povo cigano, como o acolhimento nos Centros de Referência em Direitos Humanos, que tem como prioridade o atendimento às populações vulneráveis, e falou sobre a importância do Registro Civil de Nascimento, como porta de acesso aos direitos básicos, como inclusão nos programas sociais do governo federal e acesso à saúde.

20140524_121313
Apresentação na solenidade comemorativa do Dia do Cigano. Foto: Fábia Galvão

Dia Nacional dos Povos Ciganos –  A data foi escolhida para reconhecer a importância da etnia cigana na formação cultural dos brasileiros. O dia 24 de maio é dedicado a Santa Sara Kali, padroeira dos povos ciganos.

Povos Ciganos – Estima-se que há mais de meio milhão de ciganos no Brasil. De acordo com dados da Pesquisa de Informações Básicas Municipais (MUNIC), do Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2011 foram identificados 291 acampamentos desses povos, localizados em 21 Unidades da Federação. Os estados com maior concentração são: Minas Gerais (58), Bahia (53) e Goiás (38). Os municípios com 20 a 50 mil habitantes apresentam mais alta concentração de acampamentos.

Desse universo de 291 municípios que declararam ter acampamentos ciganos em seu território, 40 prefeituras afirmaram que desenvolvem políticas públicas para o segmento, o que corresponde a 13,7% dos alojamentos.