A chácara na Rua São Clemente na qual Rui Barbosa viveu com sua família por 28 anos, tornou-se museu aberto ao público em 1930. Com suas 38 dependências constitui, um importante documento arquitetônico do Rio de Janeiro do século XIX, cuja construção data de 1849. De traços arquitetônicos influenciados pelo estilo neoclássico, conserva suas características estruturais praticamente inalteradas. A decoração interior traduz o ecletismo que dominou as artes no final do século XIX e início do XX, como reflexo de uma sociedade e m transformação. O acervo que pertenceu a Rui Barbosa compreende aproximadamente 1.400 peças de mobiliário, objetos decorativos e de uso pessoal e uma valiosa biblioteca de 35.000 livros.

Seu jardim histórico foi tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1981. Possui com 34 espécimes botânicos catalogados e conserva o traçado original da época. É uma das poucas áreas verdes abertas ao público no bairro de Botafogo, em especial para o lazer das crianças que têm ali o seu primeiro contato com a memória de Rui Barbosa. O jardim foi reaberto em novembro de 2016, após quase 1 ano de estar fechado para as obras de restauro e revitalização.